Notícias

Rádio Nacional do Alto Solimões completou 13 anos


Emissora é a mais nova do grupo EBC

A Rádio Nacional do Alto Solimões comemorou 13 anos de prestação de serviços, utilidade pública, música e muita informação na região do Alto Solimões, no Amazonas. A emissora é a mais nova da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e foi fundada em 15 de dezembro de 2006 na cidade de Tabatinga. A implantação se deu após pedido da população por meio do Fórum de Desenvolvimento Sustentável do Alto Solimões, que solicitou ao Ministério da Integração Nacional um projeto que atendesse à necessidade de comunicação entre os povos da região.

A diretora de Jornalismo da EBC, Sirlei Batista, ressalta a importância da rádio para integração da população do Alto Solimões com o restante do país. “Há 13 anos, a Rádio Nacional do Alto Solimões conecta ao restante do Brasil os brasileiros de nove municípios desta região distante dos grandes centros. O exemplo mais recente desta integração foi a transmissão, ao vivo, em rede, do jogo final da Libertadores da América. A Rádio Nacional do Alto Solimões prova, mais uma vez, ser um meio de comunicação rápido, de fácil compreensão e, sobretudo, uma fonte confiável de informação”, disse.

Para o gerente-executivo da Rádio Nacional, Luciano Seixas, a emissora é primordial para a integração da região. “A Rádio Nacional do Alto Solimões é de extrema importância num contexto de integração, atendendo às comunidades locais com informações importantes e prestação de serviço”. E completa: “A visão estratégica da EBC de ser uma empresa de comunicação relevante para a sociedade, torna-se nítida e muito bem representada por meio da Rádio Nacional do Alto Solimões”, analisa.

Atualmente, a equipe da emissora é formada por seis pessoas: os apresentadores e produtores Otto Farias, Kátia Franco, Alessandro Laranhaga, o operador de áudio Moisés Arevalo, o técnico de transmissores Messias Arévalo e a coordenadora Miss Lene Ferreira. Essa equipe produz 31 horas de conteúdos regionais por semana para os programas Alô Fronteira, Repórter Solimões, Recados, Sentinela da Fronteira e Tarde Cabocla.  Nas demais horas, a emissora entra em rede com a Nacional da Amazônia.

Para a coordenadora da Rádio Nacional do Alto Solimões, Miss Lene Ferreira, a presença da rádio fortalece a comunicação e identidade brasileira na região. “É o momento de reafirmarmos o compromisso com esse projeto de comunicação que preza pelo interesse público em benefício da população do Alto Solimões, contribuindo para o desenvolvimento da região, levando notícias, utilidade pública, educação, cultura, gerando saúde, aproximando os povos, fortalecendo a identidade brasileira na fronteira com a Colômbia e Peru”, avalia.

Localizada na região da tríplice fronteira, a rádio alcança ouvintes no Peru, na Colômbia e em nove municípios brasileiros: Amaturá, Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Fonte Boa, Jutaí, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, Tabatinga e Tocantins.

O agricultor Francisco Salles Barbosa é ouvinte fiel e conta a relação que a rádio tem com o público. “A Rádio Nacional é muito importante pra nós é como se fosse da nossa família, as vezes a gente nem consegue falar com as pessoas da nossa família, mas a rádio nos informa o que acontece”, disse agricultor do assentamento Urumutum Takana, em Tabatinga.

Já o engenheiro de pesca, Guilherme Oliveira, conta que a rádio o ajudou a valorizar ainda mais a região. “Estou no Alto Solimões há dois anos e tenho acompanhado o trabalho da Rádio Nacional. É um trabalho que me surpreende. Quando sintonizo a rádio, eu sinto o profissionalismo das pessoas que estão do outro lado, eu sinto vontade de fazer essa região crescer”.

Mercado
Rádio Encontro das Águas, nova emissora de Manaus
Associações
Migração do AM para FM em Santa Catarina
Notícias
Frente Parlamentar da Radiodifusão define agenda para 2020
Sem comentários no momento.