Associações

AIR elege novo presidente


No discurso de posse, Sosa Mendoza defendeu a discussão de uma agenda de sustentabilidade da radiodifusão, de desafios tecnológicos e de simetria regulatória, além do acompanhamento constante da questão da liberdade de imprensa e de expressão

A AIR (Associação Internacional de Radiodifusão) elegeu, por aclamação, o empresário Eugênio Sosa Mendoza (Clarín) como novo presidente da entidade para o biênio 2020-2021. Ele substitui o salvadorenho José Luiz Saca, que assumiu a 1a vice-presidência da associação. A eleição aconteceu na quinta-feira (5), durante a 47a Assembleia Geral da AIR, em Santa Cruz, no Chile. A AIR representa 17 mil emissoras de rádio e TV das três Américas.

No discurso de posse, Sosa Mendoza defendeu a discussão de uma agenda de sustentabilidade da radiodifusão, de desafios tecnológicos e de simetria regulatória, além do acompanhamento constante da questão da liberdade de imprensa e de expressão.

Entre os dias 2 e 5 de março, mais de 30 empresários e representantes da radiodifusão de 12 países discutiram a situação da violência contra jornalistas e veículos de comunicação de cada país. Foram aprovados vários manifestos contra a violação de direitos humanos e à liberdade de expressão em países como Nicarágua, México, Honduras e Venezuela.

A ABERT esteve representada pelo presidente Paulo Tonet Camargo e pelos conselheiros Roberto Franco e Flávio Lara Resende.

Em um dos painéis sobre as conquistas e desafios do setor de radiodifusão, Tonet apresentou um balanço do encontro “Rádio: mercado em sintonia”, promovido pela ABERT em setembro de 2019 e voltado para o mercado publicitário e de anunciantes. Falou ainda sobre o projeto que obriga a inserção e ativação do chip FM em todos os celulares fabricados e montados no Brasil. “É uma das prioridades da ABERT, que tem atuado junto ao governo federal e ao Congresso Nacional para que o projeto seja aprovado nos próximos meses. A população brasileira, em especial a de baixa renda, não pode depender de internet para ter acesso à programação do rádio FM no celular. Ter a função FM no celular não aumentará o preço do aparelho e será um grande aliado da população”, afirmou Tonet.

Fonte: ABERT

Mercado
Rádio alcança 83% dos brasileiros e é mais popular entre os jovens
Associações
ACAERT desenvolve movimento de valorização do rádio
Mercado
Audiência das rádios na Internet: quase a metade é falsa, impulsionada por robôs
Sem comentários no momento.